» » » » Exercício para desenvolver o Andar Medular

Exercício para desenvolver o Andar Medular

postado em: Andar Medular

O andar medular, também conhecido como caminhar espinhal, é um caminhar involuntário que o animal pode desenvolver em casos de lesões severas, como hérnia de disco, atropelamento ou acidentes que tenha causado fratura, luxação vertebral ou até mesmo uma lesão da medula espinhal toracolombar.

Quando a medula espinhal na porção toracolombar fica comprometida ao ponto de o animal não ter sensibilidade nas patas traseiras, dizemos que o paciente perdeu a dor profunda. Em casos de hérnia de disco em cães, quando isso ocorre, muitas vezes é necessário realizar cirurgia de emergência. Porém, mesmo fazendo a cirurgia em tempo hábil, a lesão pode ser grave ao ponto de o animal não recuperar a sensibilidade e consequentemente, fica paralisado das patas traseiras.

Nesses casos, em lesões exclusivamente toracolombares, ou seja, entre qualquer segmento das vértebras T3 até L3, a fisioterapia pode restaurar um mecanismo de reflexos das patas traseiras. A sequencia coordenada desses reflexos faz com que o animal comece a caminhar de forma involuntária. Ele não controla xixi, nem cocô, não tem sensibilidade dolorosa nas patinhas, mas consegue voltar a caminhar, ter independência e mobilidade. Tem uma vida com qualidade muito próximo ao normal. É um animal de estimação que demandará alguns cuidados especiais de compressão e manejo de urina e fezes.

Confira abaixo um vídeo de exercícios muito importante para ser feito em casa. Esse exercício é fundamental na fase inicial do andar medular, onde buscamos que o animal desenvolva força para levantar, para depois conseguir dar os passos!

Esse exercício pode ser realizado quando o seu animal de estimação estiver realizando tratamento de fisioterapia com um médico veterinário com capacitação em fisioterapia veterinária e você poderá executar esse exercício repetidamente em casa. Pode começar com 10 repetições, 2 vezes ao dia, e aumentar gradualmente até atingir 30 repetições, 3x por dia.

Qualquer dúvida, lembre de consultar o veterinário fisiatra responsável pela recuperação do seu pet!