História das Raças – São Bernardo
» » História das Raças – São Bernardo

História das Raças – São Bernardo

A origem da raça São Bernardo é antiga: surgiu dos antigos Molossos Romanos, que são cães da região noroeste da Grécia, a Molóssia. Foram introduzidos nos Alpes Suíços entre 1660 e 1670 quando se tornaram famosos por resgatar viajantes perdidos na região. Eram capazes de suportar longas viagens com muita resistência ao frio. Assim, passaram a serem chamados de salva vidas. Na neve, trabalhavam próximos ao Monastério de Saint Bernard, o que originou seu nome. Por isso, até hoje, os monges da região costumam criar filhotes da raça para atrair visitantes. Em 1810, os cachorros dessa raça chegaram à Inglaterra e foram encontrados com nomes diversos. Com o passar dos anos, se tornaram populares e nome se tornou oficial apenas em 1880.

São conhecidos como cães de caça e salvamento, mas também são gentis e paciente, principalmente com crianças, apesar de não serem brincalhões. Companheiros e fiéis aos donos, geralmente são tranquilos e dispostos a agradar desde que seu tempo seja respeitado. Têm facilidade em fazer amizade, mas na ausência de seus donos protegem seus territórios.

Os machos têm tamanho mínimo de 70 cm, medidos a altura da cernelha, como se fosse da ponta dos dedos até o final dos ombros nos humanos. Os de pelo curto podem pesar, em média, 75 kg.  As fêmeas têm altura mínima de 65 cm e pesam, em média, 65 kg, quando possuem os pelos curtos. Com os pelos longos, os machos podem pesar de 80 à 100 kg. Enquanto as fêmeas, chegam até 85 kg.

Para terem um vida saudável e duradoura, precisam de exercícios diários. Basta fazer caminhadas moderadas ou corridas curtas para evitar a obesidade. Independente da pelagem, precisam de escovações semanais. Por serem de grande porte e necessitarem  se exercitar, é recomendado que vivam em locais com espaço para correr e brincar.

O São Bernardo é propenso a ter displasia no quadril, que muitas vezes são originadas por hereditariedade. Os filhotes com sobrepeso podem ter complicações nessa área, então, um médico veterinário deve ser consultado. Podem ter, também, torção gástrica que é o acúmulo de gás no estômago. Sofrem de entrópio, uma doença ocular que acontece na pálpebra, que se torce para o interior do olho e provoca irritação. Podem sofrer de Síndrome de Worbble, apesar de não ser comum, uma doença cervical que provoca deficiências neurológicas e incapacidades, assim como as hérnias de disco.