Doenças: Hérnia de Disco
» » Doenças: Hérnia de Disco

Doenças: Hérnia de Disco

postado em: Doenças | 0

Formada por segmentos ósseos chamados de vértebras, a coluna vertebral suporta e protege a medula espinhal do animal. Entre as vértebras, existe um disco que, ao se deslocar, causa a hérnia,  uma doença degenerativa  localizada na região tóraco-lombar que  coloca uma pressão excessiva sobre os ossos e nervos ao longo da coluna do animal.

As causas da doença podem ser  traumas, infecções, má postura, enfraquecimento muscular  e até hereditariedade. Algumas raças tem predisposição para a desenvolver a  doença, como por exemplo, o Dachshound. Mais conhecido como linguicinha, os cães dessa raça têm mais chance de desenvolver a disfunção pela a anatomia da coluna . Mas, apesar disso, qualquer outra raça pode desenvolver a patologia.

Os sintomas dependem da intensidade da crise que pode ser aguda ou crônica. Na maior parte das vezes, a sintomatologia é aguda. O cão está bem e, de repente, fica mais apático e perde o movimento das patas.

Cristal teve hérnia de disco – Paciente da Sede de Ribeirão Preto

As sintomatologias podem variar também pela área da coluna que foi afetada. As lombossacrais, que afetam as hérnias desde a L4 até a S3, podem causar paralisia, perda de controle de fezes e urina e pode deixar o ânus flácido.

Nas toracolombares, entre as hérnias T3-L3, pode existir dor mais intensa, postura arqueada de cifose, paraplegia, perda de sensibilidade nos membros inferiores e falta de controle para defecar e urinar.

Para esses dois tipos de hérnia, existe uma classificação em cinco níveis. O primeiro, Grau 1, pode acontecer uma ligeira dor no local afetado. Os animais se locomovem, mas evitam movimentos brusco e, como por exemplo, subir escadas. No Grau 2, eles sentem uma dor mais forte e uma certa paralisia. O Grau 3 ocorre a falta de sustentação dos membros inferiores e ele não se locomove. No quarto grau, soma-se a falta de resposta voluntária nos membros inferiores. O último e pior grau, além de todos os sintomas, o animal deixa de sentir as patas.

As hérnias cervicais são mais dolorosas e graves. Não existe, necessariamente, uma tetraplegia, mas pode acontecer. O pescoço e membros passam a ter dor e rigidez. Além dos sintomas já citados, dores intensas e morte podem acontecer.

O diagnóstico é realizado  por meio de exames clínicos, neurológicos e radiografia. Exames mais modernos, como a tomografia também ajudam a detectar a doença, mas possuem um custo mais elevado.

O tratamento será feito a partir da resposta neurológica, local da hérnia e grau da lesão. Existem dois tipos: o clínico ou cirúrgico. O primeiro é mais convencional e é feito a partir de medicamentos anti-inflamatórios. A intervenção cirúrgica é feita para casos com muita dor e recuperação de movimentos.

 

 

Para estrear nosso canal no YouTube, produzimos um vídeo falando sobre hérnia de disco. Você pode conferir no link: