É uma doença de coluna de alta incidência em cães de grande porte que afeta a coluna vertebral na porção final na região lombo sacra. As raças mais acometidas são o Pastor Alemão, Boxer, Labrador, Golden Retriever, Rottweiller. A síndrome da cauda equina em cães pode acontecer por diversos fatores e piorar o quando dela devido a instabilidade lombo sacra, espondilose e artrose na coluna vertebral.
A Síndrome da Cauda Equina recebe este nome pois é um conjunto de sinais que comprometem as raízes nervosas que, na região lombo sacra se juntam parecendo uma cauda de cavalo.
Quando ocorre alguma alteração nesta região provoca uma compressão destas raízes nervosas gerando dor na coluna na região afetada, o animal apresenta dificuldade de se levantar, dificuldade de locomoção, atrofia dos músculos dos membros pélvicos, incoordenação motora (andar bêbado, cambaleante), e o animal fica com a cauda flácida e sem movimento, pode levar a incontinência urinária e/ou fecal até automutilação.

Quando começar o tratamento da fisioterapia?

Imediatamente após a identificação ou suspeita desses sinais citados, pois quanto antes começar o tratamento maiores as chances de resposta!